segunda-feira, 1 de março de 2010

.'bom dia'.



Ao acordar abrirei meus olhos , escovarei os dentes e ficarei calada.


Quando acordares falar-te-ei 'bom dia', com um sorriso largo e com o olhar alerta observarei seus movimentos preguiçosos: olhos semi-abertos (apertadinhos e manhosos), boca cerrada (com um leve repuxo para o canto, um sorriso tímido ocultando os dentes, os tais que já apreciei em expressões variadas, os tais que marcaram o meu ombro em uma expressão variável.)


Uma sequência de ideias ao mirrar-te em movimentações sutis e leves, incalculados e talvez não muito racionais (minhas ideias ou seus movimentos?).


Ajeitando o travesseiro parece que me chamas para a chama, mas bem pode ser o indício de uma profunda sonolência. Me aconchego em teu travesseiro, afinal sempre escolhes o mais confortável.


De alguma maneira te desperto, pois agora os seus olhos é que estão cerrados, já sua boca

semi-aberta sentindo o gosto de hortelã , procurando um bom dia mais concreto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário