domingo, 30 de maio de 2010

.eu digo: sinta-se à vontade (não fique só na vontade).


Se bem que às vezes eu penso saber... é porque eu penso.
Eu sinto saber... é porque não sei se sinto(-me) muito bem.
Talvez eu pré-sinta algo. Mas não sei se pós-sinto. Esse pré e esse pós,
são os que não devemos tratar como principais, mas também não
devemos descartá-los. 
O mais importante é o que está entre eles.
É o que esta sendo...
Mas que sede, uma água de coco iria bem. 
Um coqueiro aqui, outro aculá e a rede.


É difícil mexer com o que não conhecemos,
não é como quando apertamos algum botão da TV e ela entra em um estado de 'pane', então a desligamos da tomada, ligamos de novo e lá está ela, parecendo intacta. Não é assim que se forma um eletricista. Mas se bem que a base ai é a resolução, é solucionar... sendo que eu repito, acho que mexer com o desconhecido é complicado, ainda mais quando a TV não é sua, pode ser que um dia essa técnica 'off/on' possa não funcionar!
Uma pessoa não é uma TV.

Nem vou me preocupar em tentar responder perguntas que nem
feitas foram, pernas têm me interessado mais...
Não vou me -pré-ocupar.
É vivendo que se tem a certeza da Vida.
A gente fala e escuta também, a gente toca e lambe também... a gente tem sentidos e temos sentido um cheiro com um 'quê' de mistério sem muito segredo, sem querer muito ser desvendado.
É, e a gente é razão, emoção e algumas coisas mais.
Questão de dosagem, questão de manuseio...


Acho que não é uma boa hora para se ir embora não,
na verdade nem sei que horas são,
tô sem relógio e também não marquei nenhum compromisso...
se você tem o 'tic-tac' na cabeça, acerte seus ponteiros,
por que esse tempo aqui você também pode fazer.
E tenho dito.



Nenhum comentário:

Postar um comentário