terça-feira, 6 de julho de 2010

.com um brilho especial.

Palavras ditas mais diretas são palavras ditas mais diretas,
enfeitar é enfeitar,
mas nem por isso é dissimular,
não é hipocrisia, não é a atuação sobre sentimentos e crenças que
não se possui,
não é cinismo, não é a indiferença...
(apática, empática, antipática, simpática)  ao o que outro passa,
é enfeitar, pra dar um tom mais leve,
mas nem por isso menos verdadeiro.
Quando falamos que não deu certo,
parece que falamos que foi em vão,
mas não,
não falamos que não deu certo,
falamos que deu certo até não dar mais.
.
Madrugadas a fio, sem frio,
abrindo o portão como quem abre um sorisso.
Sorrindo por poder sorrir.
Ouvindo por poder ouvir,
e passando pela cidade como quem passa
por algo que nem tem mais tanta graça,
como quem passa sem querer parar,
(como o que é passageiro)
e parando nos sinais como quem não tem pressa
de chegar onde se deve.
Se guiando como quem dirige,
observando com quem é guiado,
(como quem é passageiro
de primeira, segunda ou terceira classe).
.
Eu já ouvi coisas demais,
sobre coisas demais.
Já falei coisas demais sobre coisas de menos,
mas agora eu só preciso de silêncio,
um copo de água fresca e um sorriso
um pouco tímido.
.
Mas agora,
agora é outra hora,
eu só preciso de silêncio e um
copo de água fresca,
que é o que posso me dar.
.
No caminho de volta,
eu acho que pensei demais,
e nem me lembro onde fui,
mas eu entendo o porque,
está quase tudo muito tranquilo,
são etapas,
a gente aprende pra caramba,
eu gosto de me ter por perto.
(Isso me agrada)
Com a mente leve
e o coração batendo.
.
E hoje eu abro aspas:
"Hay que endurecer, pero sin perder la ternura jamás".











Nenhum comentário:

Postar um comentário