terça-feira, 27 de julho de 2010

.rosa-dos-ventos.

Um dia desses eu quis ir pelo sentimento, mas o racional me fez ficar,
não imóvel, mas quieta.
Foi naquele dia em que nem os olhares se cruzaram por inteiro, onde eu era a observadora,
que nem notada talvez tenha sido, como uma fotógrafa de uma pintura urbana.

E naquela noite eu percebi que a quietude me fez ficar onde eu pensei em estar. Assegurei-me que segurar-me em minhas próprias sentenças, apesar de não ser cem por cento confortável é suficientemente seguro.

Eu não estou nem ai para o excesso,
quando se tem muito, sobra e quando sobra pode haver desperdício.
Com o desperdício pode se ter a reciclagem,
mas ela não livra o excesso.
Que mesmo tendo sido transformado,
um dia foi excesso.
(Eu não disse inútil.)

Eu já to um pouco cansada de não ter um outro lado que me indique algo.
Estou sem rosa-dos-ventos.
Só tenho a rosa negra nos cabelos
e o vento no rosto.
E sinceramente está tudo bem.
As coisas estão meio sem rumo,
mas se dirigindo para algum lugar.
E sinceramente está tudo bem.
Estar cansada, não significa exaustão
ou nem mesmo um estado de incômodo.
Quando se esta cansada se descansa.

Eu tenho recordado de momentos.
Me vejo no ontem e reparo melhor nas minhas atitudes.
E apesar de não escutar minhas palavras e
apesar de nem sempre saber o porque de minhas atitudes,
eu me vejo no hoje como consequência delas.
E talvez por isso eu as reverencio, porque apesar de nem sempre estarem certas eu estou aqui, aprendendo a aprender com elas.

Eu tenho me recordado de momentos.
E eu não me sinto nostálgica por isso.
Eu apenas tenho usado minha memória, como mais uma artimanha da minha condição humana.
Eu tenho usado a mente e o coração em certos momentos.
E eu não tenho me sentido frágil por isso, eles fazem parte de mim.

Meu coração tem descansado em paz
(Não como em uma lápide).

E eu tenho sentido falta,
mas não tenho estado com tantas saudades
e isso não faz de mim insensível.

Eu apenas tenho estado tranquila comigo
Depois de 'um dia desses' algumas coisas me pareceram mais claras.
E eu me sinto mais lúcida.
E eu sinto.
E eu penso.
E eu acho.
Com dúvidas e ensaios de certezas .

E eu só posso falar de mim.
E no momento falo comigo.
Talvez você se idendifique com algo aqui
ou talvez ache subjetivo demais,
eu digo que sem rosa-dos-ventos
eu me guio com uma bússula e sem ela ainda sei que existe o Cruzeiro do Sul,
e ele está lá...
Mas eu nem estou em alto mar,
estou só vendo o pôr do sol
e às vezes o confundindo com a aurora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário