segunda-feira, 9 de agosto de 2010

.uma pitada de surto, nostalgia e reação.

Somos muitos elementos formando um só.
E temos muitos dentro de nós e temos nós e temos muitos.


-E disse:

Quando cores se misturam dando a impressão de uma única cor,
uma aquarela se resume em tinta.
Quando se pensa estar só é porquê já se levou alguém do lado,
é quando já se teve a sensação de estar acompanhada.
Quando se veste de outros é porquê estar vestida de si mesmo parece deixar-me nua.
Quando um círculo não se fechou ele não é um círculo.
Quando se dança sem música, se dança para o silêncio.
Parecendo insensatez ou parecendo reverência ao som oculto.

Quando uma estátua parece se movimentar...
é quando se pode comparar movimento e inércia.
e
é quando se percebe algo comum nos extremos
(quem sabe o fato de serem extremos)
e
quando se pode comparar, pode-se também diferenciar...

afinal comparar é fazer o paralelo...
É
diferenciando que se escolhe e
é
escolhendo que se vive.


-E digo:

Linhas paralelas estão lado a lado,
não são a mesma,
e cada uma tem dois sentidos,
e cada uma é uma nos dois sentidos que conto e
nos outros todos que desconheço,
e o nada, não sei o que é.

E se falo que sei que nada sei,
falo que nada sei
e não admito que não sei de nada (hoje demito os mitos que criei),
e nem sei o que é o quê.

E nado,
mas sem tanto medo de me afogar,
já que aprendi a boiar para melhor parecer
e
para relaxar com os ouvidos em baixo d'água.
E fingindo flutuar, sem pensar em leis da física nada ouço.


-E repito:

Perdi a noção das palavras,
mas não perdi palavras nocivas ,
porque não quero as encontrar,
então as guardo, mas não as busco.

Perdi a noção dos sentidos, mas sem deixar de respirar.

Hoje foi um dia.
Um dia e só um dia.
Desses dias que a gente sabe que tem 24 horas.
Desses dias que tem manhã e noite e pessoas dirigindo.
Um dia a mais.

Menos um dia pela frente
é
Mais um que ficou pra trás.


-E recordei:

Saudade é coisa nossa.
Do carioca, pernambucano e todo o resto...
E o resto todo.

Ou saudadí ou saudadî.
O sotaque não limita.
O idioma não revela.
É
o sentimento que domina.


Vi sua foto e tive sorte de ter perdido a noção e não os sentidos por completo,
porque assim pude ver.


-E conclui:

É bom recordar, é bom admitir a recordação.
Mas é bom também deixá-la ir,
para onde ela deve ir.
Eu devo ficar...
porque eu continuo no Tempo
e o tempo que recordamos já passou.


-E chorei:

Antes de ver, de ouvir, de dizer...
E me senti mais humana.
Porque não sabia o que continha nas lágrimas,
mas não as contive,
porque me pareceria irracional não chorar.
Eu não sei o que continham as lágrimas,
mas sabia que elas
não deviam ficar contidas em mim.



-E sorri:

Mas é claro que sorri,
ou porque não usei quatro anos de aparelho à toa,
ou porque eu me acho mais intressante assim,
ou porque seria falsidade não sorrir.

Me pareceria blasfêmia não sorrir.
Me pareceria irracional poder sorrir e não o fazer,
me pareceria irracional e insensível.
E eu tem razão e sentimento no meu sorriso.


-E ouvi:

Algo como 'quanto mais espero, menos tenho que esperar'
Eu ouvi um dia desses
e talvez me recorde amanhã dessas palavras.

Mas também pensei,
que se a gente não espera,
não importa a hora que vem.
Porque para quem não espera, não existe o atraso e nem mesmo o atrasado.

Mas a esperança não espera por nós,
Ela apenas contém a magia de acreditar.

5 comentários:

  1. As paralelas sempre se encontram no infinito.:D
    'quanto mais espero, menos tenho que esperar'
    O Paradoxo da Espera do Ônibus é um curta de animação.

    ResponderExcluir
  2. Hunrrum, é vi nesse curta mesmo.
    Muito bacana!

    ResponderExcluir
  3. Ah, e valeu a visita!
    Retorne quando tiver vontade!

    ResponderExcluir
  4. -Li:

    "Perdi a noção das palavras, mas não perdi palavras nocivas ,
    porque não quero as encontrar, então as guardo, mas não as procuro.
    Perdi a noção dos sentidos, mas sem deixar de respirar."

    -Compartilhei:

    "Quando se pensa estar só é porque já se levou alguém do lado,
    é quando já se teve a sensação de estar acompanhada.
    Quando se veste de outros é porque estar vestida de você parece deixar-te nua"


    -Rir:

    "Mas é claro que sorri,
    ou porque não usei quatro anos de aparelho à toa"

    Tentarei:

    "Porque para quem não espera, não existe o atraso e nem mesmo o atrasado."

    ResponderExcluir
  5. Lidi querida,
    sempre atenciosa.
    :*

    Obs: Você ainda tem o sorriso metálico, hahaha, e inclusive um charme.
    Saudade nêm.

    ResponderExcluir