quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

.dai-me pazsagem.

Me fizeram acreditar que há uma medida para o amor ou ao menos para se dedicar amor, eu já amei, ou ainda amo, tanto faz, pois tentei acreditar que não vale a pena se expressar, ainda mais quando não se é correspondido de uma mesma forma.
Em todo caso a vida é um 'acredite se quiser'...
Mais vale guardar para si, sem sombra de dúvidas. Guardar o que se pensa e sente... ou compartilhar com quem não entende?! Não vale a pena se esforçar para entender o que não existe explicação.
Eu não estudo para ter dúvidas, eu vivo para ter certezas. E quero acreditar mais em mim... a intenção muitas vezes é desvirtuada por nossas interpretações errôneas e amadoras demais, peço desculpas para quem eu já, mesmo que por ignorância, cometi tal delito e por ter tanta importância o  meu mal conceito se transformava em uma tortura. Meu coração se fez em pedaços... como gotas de chuva.
Muitas coisas que nem queremos dizer e dizemos por raiva e muitas coisas que nem queremos escutar, mas escutamos pela voz... e tantas outras que foram ditas por amor e o sentido foi perdido.
Decidi lutar contra qualquer tipo de infelicidade que me invade, chega uma hora que temos que sair de cima do muro e optar por um lado, a escolha mais importante que temos a eleger é o que fazemos com nossas próprias vidas, cautela e coragem, fé e alegria de ser.
A infelicidade se faz presente, digo, lute contra quando ela já não fizer sentido em estar contigo. Em momentos ela se faz necessária, pois te orienta para um acolhimento interno.
E a insatisfação em permanecer insatisfeito com o que se tem?
Não temos quase nada, mas o que temos é inestimavelmente valioso, suficiente e o que temos ninguém pode nos tirar, não temos ninguém além de nós.
Se não temos verdadeiramente, se temos apenas de alguma maneira é sinal de que não temos.
Quero amar para ser eu e ser eu para amar, por isso amo o que tenho, eu tenho a praia, tenho o sol, tenho a lua, tenho a chuva, tenho força e tenho fé, não me resta outra maneira de viver... tenho sonhos e ferramentas. Ofereço meu sorriso, que já não há quem faça parte, que já não é preocupado, que já não me ocupo em ocultar. E amo... afirmo.
Em mim não vejo necessidade de não falar, de não me expressar, mas me é meio doloroso sentir esse alívio, lembranças vem e me fazem pensar no que já não é permitido sentir. Esqueçamos e apenas sejamos...
Chega de conclusões e ofensas... cada um fez de um jeito, alguns de um jeito mais desajeitado.
Um jeito menos comprometido... mas que cada um de nós mereça o melhor que podemos ter e tenhamos o que merecemos.
Eu escrevo porque necessito... porque às vezes consigo alcançar meus pensamentos e transparecer o que sinto... escrevo porque gosto, quero e posso.

sábado, 17 de dezembro de 2011

.realidade onírica.

Não sonhei com pessoas,
sonhei com sonhos.
Sonhei com uma grama verde e um banco,
estava sentada, com lindas sandálias novas,
e olhava para além das grades do lugar.
Sonhei com uma árvore com brincos-de-princesa,
me encantei com o que via.
Não sonhei com pessoas,
isso me fez não querer acordar.
Eu sonhei com esperanças e cores,
havia algo de magia.
Relato como se relata um sonho,
mas um sonho enigmático por sua simplicidade.
Sonhei que estava tudo em paz...


Acordei, era dia 17.



quarta-feira, 30 de novembro de 2011

.sem ser rascunho.



AGRADEÇO.
Que um toque de leveza chegue aos corações.
Que a noite encante, mas mostrando a verdade.
Que o Céu seja como teto dos  fiéis para com o Bem.
Que as boas intenções possam ser reconhecidas.
Que possamos recomeçar, mesmo sem um fim.
Que Deus esteja conosco em todas as nossas etapas.
Que as energias que, ao invés de revigorar, nos sugam sejam isoladas.
Que os falsos sorrisos e conselhos sejam detectados.
Que as falsas promessas sejam quebradas.
Que possamos estar juntos até quando for de ser e não até quando nós ou as outras pessoas quiserem. 
Que a Vida, o Amor, a Liberdade e o Perdão formem um laço.
Que o respeito e a paciência se unam a ele, para tornarem-se algo único.
Que o Divino e o humano se aproximem a cada abraço.
Que sinceridade e gentileza andem de mãos dadas.
Que o ciúme seja posto mais de lado. Ou transformado em cuidado.
Que as memórias boas sejam mais lembradas e as ruins arquivadas e bem administradas.
Que os defeitos sejam reconhecidos por nós, aceitos pelos demais, mas modificados também por nós e nossa capacidade de evolução.
É estúpido lutar contra o Amor. Travemos outras batalhas no campo do viver.
AMEM, AMÉM.













Invadida, capturada, corrompida. 
Sentimentalmente, mentalmente, verbalmente, sensacionalmente...
Que vida é essa em que nós confiamos que estamos fazendo o certo quando na verdade o certo nem ao menos é algo real?! 
Como tudo é tão íntimo...
E por isso parece injusto cobrar as mesmas ações que fazemos.
Uma coisa essa vida me ensinou, não são todas as pessoas que realmente querem ver a gente bem e feliz , não são todas as pessoas que querem ver a gente bem e feliz que vão se mostrar, muitas pessoas mesmo que inconsciente não querem ver a gente bem e feliz, as vezes vão dar conselhos que só servem para suas próprias vidas. 
Na realidade me sinto estúpida, de ter uma boca e voz. 
Ouvidos e memória. 
De ter coração e inocência também.
Queria mesmo era nem ter chegado até aqui, mas querer o impossível é mais doloroso do que querer apenas o que não se tem...
Mas Deus tem motivos que não chegam ao entendimento de uma criatura que ainda precisa de boca e ouvidos para mostrar que entendeu algo. 
Hoje eu quero ser pessimista, mesmo crendo, quero que nada mais aconteça.
Tenho certo sono e não consigo dormir, tenho certa fome e não tenho apetite, tenho saudade demais e um coração destruído.
Depois de várias energias ruins que eu senti sendo transmitidas para minha vida e uma vida que não é só minha. Sorriam.
Eu não tenho culpa de ter encontrado alguém para amar e que me amou também, não tenho culpa! Não vou me desculpar para ninguém por isso.
Não sei se estou parecendo arrogante, mas é a única maneira de dizer ser feliz apesar de tudo que me foi dado e por tudo que me foi dado. Agradeço!
Parece que a vida já passou.
Nada se compara a você. Nada!
E nossa vida.
Cada um tem um jeito de acordar.
De se expressar.
De sorrir.
De reclamar.
De acreditar.
De dormir.
De fazer piada.
De cantar.
De escrever.
De tocar.
De errar.
De acertar.
De amar.
De perdoar.
De escolher um filme.
De falar o que pensa.
De segurar na mão.
De torcer.
De se decepcionar.
Mas eu sei qual é o jeito mais belo que alguém pode fazer qualquer uma dessas coisas.
Não disse o jeito mais certo, mas o jeito mais encantador.
O jeito que dá jeito.
Isso não é uma propaganda. Não compre!
Se eu pudesse realmente sonhar com algo que fosse mais verdadeiro, gostaria de não acordar para o real.
Tudo é muito verdade.
Talvez uma intimidade que pessoas intrigantes absorveram para si. Observaram. 
Isso é do tempo. Esqueça se puder!
Mas como levo em mim, é um pouco meu também...
Eu me sinto guerreira, quero lutar pelo que acredito.
Lutar pelo que me dá sentido.
Todos os dias juntarei forças.
Todos as noites rezarei.
'Livrai-nos de todo mal.'
Vamos em 'mi', é harmônico. 
Magia, enigma.
Sensação, sentimento.
Eles se confrontam...
Às vezes temos a sensação de não sermos sentimentais.
Às vezes nos sentimos insensíveis.
Mas nada disso somos nós.
Somos além...
Amem.
Amém.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

.'nothing compares 2U'.

Sono, cadê?
Sono? Nosso sono, som e sonho.
Só isso na minha cabeça.
O mundo está enlouquecendo o meu mundo.


Não vamos pensar que somos um problema sem ou com uma difícil solução.
Não vamos pensar que somos um problema, mas vamos nos resolver.
Desejo que todos esqueçam de mim.
Menos você.
Pois enquanto você se lembrar de mim eu estaria viva.

Nada, nada se compara à você.

Nem a noite, nem as festas da noite.
E as pessoas que passam e passam levando o seu nome na boca.
Nada se compara com quem levamos no coração.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

'ab[surdo] não h[ouve].'

Quero ficar uns dias longe daqui, 
sem receber ou mandar sinais, 
me sinto fraca,
não sinto vontade de olhar no olho e conversar
assuntos que não me fazem bem e eu infantil demais, mas a consciência limpa é recompensa,
sinto vontade apenas de me isolar e procurar somente em mim 
um estímulo forte o suficiente que me faça reagir.
Um estímulo divino e humano.
Falo que não quero mais falar e faço isso falando...
Vou orar para esquecer relatos ouvidos e história vivenciadas...
Que as urubus sintam-se livres, mas que exista pássaros bonitos para nós, porque no fundo sinto que não merecemos nada ruim... cada um com sua maneira de querer viver em paz.


'Ab[surdo] não h[ouve].'

sábado, 19 de novembro de 2011

.reunião.

Deve-se respeitar o amor que duas pessoas tanto batalham para cultivar e fortalecer.
Quando ver ou ouvir falar da felicidade de alguém, respeite-a, se você não pode desejar que ela se perpetue ao menos fique em silêncio e deseje a sua própria felicidade. 
Não construa obstáculos dispensáveis na vida de uma pessoa. 
Deixe que Deus aja na sua vida e na vida do outro. 
Não devemos torcer pela infelicidade alheia, isso eu aprendi vivendo e vivendo darei o exemplo.
Bom mesmo é acordar de bom humor, dormir em oração.
Bom mesmo é confiar no amor, mesmo pedindo proteção.
Bom mesmo é sentir as boas energias, mesmo sendo bombardeado de tudo.
Bom mesmo é saber selecionar e ser feliz com o que se tem.
Bons fluídos para os corações. Aproveitem as coisas belas.
Não estranhem esse meu jeito esquisito de sorrir e desejar o bem.


Coração em oração.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

.o que faz bem não deseja o mal.

"Tudo que te faz bem a consciência diz

o coração sabe

a mente não esquece..."

Não se estresse

tudo o que te faz bem 
é companhia eterna.

Se está na consciência

no coração ena mente, 
não há quem te tire.

Tudo o que te faz bem,
está bem ao seu alcance,
mas necessita força de percepção

Dê ouvidos ao seu coração,

pois tudo o que te faz bem
revela-se no dia a dia.

São oportunidades de ser cada vez mais justo 
e assim colher o fruto
no ponto certo.

Não apresse o relógio
O Tempo independe dele
e a beleza se encontra em cada amanhecer

Tudo o que te faz bem
É muito seu
Mas nem por isso se faz indispensável a outras criaturas

Se aonde você vai
leva sua consciência
leva também a possibilidade de agir com coerência

Se a verdade condiz com suas ações,
sua mente fica livre de perturbações.
Tudo que te faz bem, está em seus cuidados.


(- Em parceria com o amor...)







segunda-feira, 7 de novembro de 2011

.enCantAR...

Ser transformada em música...
Um sentimento de outono.
Transformar-me em melodia...
Uma necessidade de expressão.
Cantarolar algo que seja eu...
Qualquer coisa que me pareça o âmago.
Sentir-me num acorde...
Vibrações que se eternizam no silêncio.
Algo meio confuso, nada visível...
Sem tocar e mesmo assim sentir na pele.
Aos olhos, surrealismo...
Ao tato, magnetismo.
Um quê saboroso e aromático...
Gosto de essência.
O que pelo ouvido entra pode viver na alma.

Se eu falei, se eu ouvi, se me tocou, se me projetei, se respirei...
Senti, se me sensibilizou.

domingo, 6 de novembro de 2011

.com afiação.

Tenho estado meio triste e hoje quero falar de mim.
E depois me calar.
Inspirei, expirei, de dentro para fora e de fora para dentro.
Complicado amar um amante que muito amou e se deixou ser também.
Quantas pessoas. E para mim ninguém mais.
Quantas possibilidades e uma delas me parece impossível.
Quando diz: Alguém para assumir.
Eu sinto vontade de sumir e aparecer diferente.
E se for de ser mais do que é ou já foi não será por desejo meu, será pela vontade Dele.

Quero confiar.
Olhos fechados e coração sentindo.
Na ponta dos pés eu caminho, tentando não fazer tanto barulho.
Eu não entendo muito de nada e tampouco sei se me entende.
Tenho estado chorosa e hoje quero falar de mim.
E depois me deitar.

Vamos apenas confiar.
Muitas vezes a gente sabe o que deve ser feito.
Muitas vezes não temos força para isso.
Outras além a força que temos não nos permite fazer.
O Amor é força independente.
Sem forçar nos da força.
Dentro de nós.

Confiamos.
Dividindo alegria, melancolia.
Temos segredos.
Não temo nossos segredos.
Eu me lanço, você me laça.

Confirmando.
Coração aberto.
Fluindo a favor de Deus.
Na corrente que me leva.
Hoje quero falar de nós.
Quero falar para nós.
E depois nos guardar.

Confessando.
Que tudo que nos trouxe até aqui nos leve para mais longe, nos levando para mais perto.
Que a memória falhe em algumas horas.
Que estejamos rosto com rosto.
Que no amanhecer de cada dia esteja um novo sentido para continuar vivendo.
Reapaixonar-se pelo (re)'encontro' reencontrando-se na paixão.
Que seja fogo e fonte de vida.
Água e calor que acolhe.
O corpo a corpo ainda estremece minha alma.
As almas muitas vezes se entrelaçam.
Entreolhares e dentes os olhos sorriem.

E quem confia não precisa de discurso.
Força e calma.

Confiante.












quinta-feira, 20 de outubro de 2011

.Fortaleza, 17 de outubro de 2011, fortaleza - todo dia.

Um + 6 + 10
E tudo isso mais um...
E eu te amo a cada dia.

Um e meio,
melhor...
18 inteiros.

Se entregando...
se sentindo e
descobrindo...

Indo e vindo.
Sorrindo e chorando...
Ando.

Ando só,
pensando e
querendo...

Ando indo,
ando a mando,
amando, mas por vontade própria.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

.corado coração coroado.

Um coração aflito pede alívio.
Não é uma questão de mente confusa ou imaginação fértil.
É um coração que sofre por uma escolha feita.
É preciso considerar a importância do coração.
É necessário limpá-lo, cuidá-lo, lá é onde habita tudo o que de mais divino há em nós.
Todo coração é fonte de Vida. E com isso de conhecimento também.
Os mistérios inalcançáveis pela mente podem se encontrar justamente no coração.
Mas mistérios são mistérios, não sendo não seriam mistérios, seriam outra coisa...
E o coração também os tem... mas os respeita.
Cor de ação.
Agir para manter os batimentos em paz.
Descansar em paz com o coração batendo.
Cor de descanso.
Poucas coisas eu sei de cor.
Sistemáticas, matemáticas...
Eu sei mais de cor.
Recebo em meu coração o lilás que me tranquiliza.

domingo, 4 de setembro de 2011

.'se o amor é como um grão, morre, nasce trigo. Vive, morre pão.'

Todas as belas palavras
mais escritas e
digitadas, do que faladas,
(o que foi dito fica para quem escutou)
eu as agradeço.
Se hoje servem para outras pessoas,
de fato nunca me pertenceram,
empréstimos... sem juros, sem longo prazo.
Todos os sentimentos depositados nelas
esses sim, um dia direcionados para mim...
ficaram no Tempo, onde não posso mais alcançar.
Não é que você seja rápido demais, eu que sou lenta.
Falo do Tempo.


quarta-feira, 31 de agosto de 2011

.fé.

  Agora que passou da meia-noite, posso falar com autoridade de quem passou pelo mês de agosto, não ilesa, mas passou. Um mês de altos e baixos em todas as esferas cotidianas. O sentimento a flor da pele, a pele ferida pelos espinhos da flor, a Vida acontecendo independente do clima. Um mês de luta e recompensa... setembro chega com o requisito de mês da primavera, primavera essa que traz flores e em consequência espinhos, assim como o mês de agosto.
  Posso falar da experiência de quem começa setembro encarando uma das coisas de que mais sentia medo. Que o medo não se faça tão escuro quanto um breu, mas a luz interior nos socorra. Muitos meses passaram até chegar no dia de hoje e amanhã é um dia novo, tendo hoje passado. Não mais caracterizarei algo que se faz indizível. (Não invisível) Então que se veja com os olhos da alma.
 Não pensemos no amanhã e nem no ontem, evitemos pensar sobre o que não podemos explicar...
Apenas tenhamos Fé. Nós  realmente queremos explicar tudo, entender tudo. Assim nos crendo mais inteligentes, mais intelectualizados, mas sermos assim não faz de nós mais do que simples humanos, sejamos mais... sejamos verdadeiramente felizes. Obtendo o que não se vê, o que não se explica: a Fé. 

Fé e tempo ao tempo, ao tempo, ao tempo...

terça-feira, 23 de agosto de 2011

.pois é...

Hoje eu não consigo muito bem enxegar o lado bom. Isso talvez fosse um dom que me faria melhor. Um grão de areia, grãos de areia, dunas. E um assunto virou uma discussão. Porque as palavras não foram encaixadas nos lugares que as dariam leveza, mas somos nós que damos o peso para elas. A harmonia do momento foi quebrada como quando se quebra o silêncio. Meus olhos embaçaram. As águas não estão mais cristalinas.
Deus em mim. Deus em ti. Deus em nós. Conosco. Permanente e incessante. Fortaleza. Os dias se sucedem por Sua vontade e eu tenho confiado cada vez mais nisso. Os meus sentidos já me parecem falhos. Eles enganam, talvez porque dependem do que eu alcanço com eles. E a nossa interpretação diante das coisas deixa a desejar.

terça-feira, 5 de julho de 2011

.era mais ou menos isso que eu estava querendo escrever àquela hora.

Quero ser feliz? (A pergunta é.)
De maneira inconsciente todos queremos ser felizes, mas e tomar consciência da felicidade que nos é dada em cada oportunidade?
Difícil admitir que mesmo em meio as dores há alegria.
Quero ser consciente da felicidade diária de entrar em acordo com as decisões tomadas. Todos os dias.
Respeitando-me interiormente.
Despertar para uma saga de dificuldades sem construir problemas mesquinhos.
Não vale a pena acreditar que pode ser diferente se fizermos sempre o mesmo.
Quando pareço não ter mais tantas forças a meu favor, eis que surjo dentro de mim, como um viandante que retorna ao seu lugar de princípio.
Eu me tenho e me descubro a cada encontro, por mais breve que seja.
Me visito e vou. Deixo muito de mim em mim. Quero permanecer!
A Felicidade estando em mim, vai... mesmo ficando.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

.título.

As palavras apenas saem sem fazer questão de fazerem sentido, sem serem maquinadas, saem como se apenas estivessem prontas para sair, sem muitos enfeites, sem maquiagem. Eu não as busco. As palavras que devem ser pontuadas e acentuadas para serem entendidas por interpretes apenas seguem...essas palavras que não cabem a ninguém, nem a mim que as escrevo, que tanto não me cabem que hoje já não são mais minhas... eu as entrego, a quem? eu não sei.
O que é dito, não pode ser 'desdito' e o que não é dito jamais poderá ser ignorado, por que o silêncio tem lá seu espaço, seu tempo e sua importância em ambos! Dizem que para se falar deve-se saber o que falar e para se calar? O que é necessário para se calar? O mesmo, dentro de outro contexto? Para se calar é necessário saber o que calar? Ou quando calar? Eu tenho dúvidas! Agora falo de mim, ou pelo menos do que aqui represento. Será eu a escrever o que eu penso ou será eu a pensar no que escrevo? Está tudo rápido demais, complicado pegar o bonde nessa velocidade... penso ser eu a escrever, mas só de pensar nisso já penso...!
Ouvir é característica de quem têm ouvidos, de quem os usa quando algo emite algum sonido. Escutar é tarefa de quem ultiliza os ouvidos e um 'canal' que leva os sons à mente. Quem fala mente. E quem ouve mente? Alguns que ouvem falam. Quem escuta absorve, quem absorve pode tirar suas conclusões e quem conclui nem sempre acerta, mas nem por isso sempre mente.
Por que quem tem boca vai a Roma, mas quem tem boca só pergunta, quem tem ouvido escuta as respostas. Quem tem boca e ouvido vai  a Roma, por assim dizer, mas quem tem o sentido da audição como aliado pode ainda contar o caminho que leva a Roma, podendo se fazer a boca também necessária para passar a informação... ou se pode escrever o que se escutou e assim quem sabe aproveitar e compartilhar o que de mais inovador ou maravilhoso viu pelo caminho... há quem relate sobre o que de mais tenebroso esbarrou. Se fazendo necessário estar atento aos sentidos. 
Me perdi no caminho, não de Roma, que não conheço! Me perdi no caminho que me lancei, caminho esse das palavras jogadas sem interesses objetivados, caminho que hoje conheço um pouco mais. A verdade é que a verdade já não é tão atrativa, por que se é verdade é imortal e mesmo sendo imortal não pode ser minha para sempre, por que o sempre não é de minha posse, eu possuo apenas o que eu dei, como vida, 20 anos, como amor, todo o que eu tenho.
Agora escrevo sobre sentir e não apenas sensoriar, me igualo àqueles que fingem que sabem o que são e o que vivem, assim achando que são o que sentem, que acreditam ter a fórmula para ser feliz, ou confundem isso com a aceitação da vida como ela é, ou vivem isso como eles são realmente, ou aceitam a felicidade como fórmula, ou se julgam como eu me julgo, ou me julgam como eu os julgo. E se eu jogasse pra cima o que for de ser jogado? Por que a lei gravitacional devolve o que no ar não pode pairar, mesmo com ajuda de motores e/ou intervenção humana o que é de ser não pode não ser, apenas é e assim que as coisas são.  Sinto e sinto muito se o meu sentir é algo muito. Sinto por que raciocino e raciocinando percebo que sentir é algo inevitável. Sentir o outro é algo interessante, sentir que o outro é outro e mesmo assim saber com a sabedoria de um sábio que você é o outro também, saber com a sua ignorância que o outro é você. Perceber que é complemento... a gente é o que é e sendo assim somos o que nós somos, somos eu e você e você e mais outros de nós. Mas o mar e amar me fazem acreditar que a tonalidade dos tons de azul se modificam talvez por consequência do céu. O que em mim é submerso é aquilo que cultivo de belo e que sob as águas das minhas certezas esta encoberto em profundezas que você consegue alcançar.
Eu me certifico de que tudo que eu vivo me é preciso, tudo que eu sinto me é necessário... tudo que me é dado é tão seu, é mútuo. Um poeta vale mais do que seus poemas, mas por seus poemas costumam dar-lhe seu valor... me dá a impressão de não levarem em consideração os rascunhos que pelo mesmo foi escrito e tem seu mérito para o poema e para o poeta. Um poema também pode ser composto de esboços, que podem ter feito parte da arte hoje apreciada, linhas aniquiladas pelo poeta, mas fundamentais para o poema, aniquiladas pelo poeta, mas jamais ignoradas por nenhum dos dois, de certa forma se encontram ainda no poema, talvez não de forma clara, clássica ou concreta, mas mesmo de forma decisiva. Com essa observação sobre rascunhos e esboços não desejo pôr o poeta apenas como alguém que corrige o que já não parece fazer sentido (ou rima), nem como alguém que se arrepende e tendo a chance de concertar, o faz, talvez apenas como alguém que da sentido a algo, ou um novo sentido a uma coisa que se transforma em outra sem deixar de ser o que é, um poema. Isso me parece estranho, mesmo não me parecendo alheio. Mas este não será um poema, já não sendo e nem será um texto revistado, nem se quer será um texto revisado, apenas será o que esta sendo, já que o que está sendo está seguindo a linha do que me é cabível ser neste momento, sou eu quem escrevo, como pensei antes.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

.pode ser, ser não pode.

Uma frase de efeito, uma frase de auto identificação, de superação, vangloriazação, perdão, ocultação. Escrever sobre amor, sobre o amor se debruçar, apoiar-se! O que tem sentido pode ocultar o que é sentido. Uma frase de causa, que causa identificações múltiplas de super ações gloriosas e acusações públicas. O que escrevo não é poesia, mesmo poético parecendo. Aparecendo, desaparecendo. São vírgulas e letras, o que te parecem mais? São o que parecem ou o que transmitem? Transmitem o que te sensibiliza, sensibilizando o que com você parece. E eu? O que transmito? 
O que pareço fica por conta de quem desconta um tempo para analisar-me. Conta e desconta o que sente, desconta e conta o que acha. O que se sente apenas se sente, o que se conta já não tem tanto sentido, meia-volta, volver para o que interessa... voltem para seus teclados, as atualizações são constantes, logo aparecerá algo mais interessante! Auto alisamento, alucinações ou alimentações. Qualquer coisa que não se sabe o que é! O que? O que? O que? 
Não se responde... se pondera, não por sensibilidade, mas por falta de sabedoria ou por tê-la, o(culta)r não é não ter é apenas não mostrar.
Podar-se, poder-se, apoderar-se, permitir-se, omitir-se e assim ser o que não se sabe. Saber o que não se é.
Não ponho em ninguém minha ignorância, apenas a revelo. As vezes no silêncio também a revelo, parecendo o(culta)r.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

.talvez nunca mais voltarei, mas sei que para sempre estarei aqui.

Ir. Mesmo não sendo decisão própria, ir  para onde o ambiente se faça um aconchego.
A ida se fazendo solitária, a vontade de ficar se fazendo companheira.
Quando nunca se amou, amar parece ser só desse jeito.
Amar é assim... como o amor é assim!
Um beijo e um abraço nem sempre são despedidas, como nem sempre são encontros ou sinais de amor.
Hoje eu amo sem beijar ou abraçar, hoje eu amo sem ver.
E quando se promete nunca mais voltar, quando se concorda com uma coisa que te parece absurda?
Minhas atitudes estão vulneráveis à julgamentos, mas meu coração jamais poderá ser levado como banal.
Para onde quer que eu me guie, ele vai comigo e tudo que vivi com ele vai junto.
Como se nunca tivesse havido uma despedida.
Cada um para o seu lado e ao meu lado será imortal.
Vivemos muitas coisas diferentes, vivemos não só por viver, vivemos por amar.
Reaparecer. Faz parte de quem some, mas não morre... e pra quem morre reaparecer me parece apenas sobrenatural. Surgir novamente.
Vamos usar o tempo... não vamos deixá-lo nos consumir.