segunda-feira, 7 de novembro de 2011

.enCantAR...

Ser transformada em música...
Um sentimento de outono.
Transformar-me em melodia...
Uma necessidade de expressão.
Cantarolar algo que seja eu...
Qualquer coisa que me pareça o âmago.
Sentir-me num acorde...
Vibrações que se eternizam no silêncio.
Algo meio confuso, nada visível...
Sem tocar e mesmo assim sentir na pele.
Aos olhos, surrealismo...
Ao tato, magnetismo.
Um quê saboroso e aromático...
Gosto de essência.
O que pelo ouvido entra pode viver na alma.

Se eu falei, se eu ouvi, se me tocou, se me projetei, se respirei...
Senti, se me sensibilizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário