sábado, 31 de março de 2012

.meia-noite.

Viandante... percebo e me conecto.
Como existem pessoas que só reparam nos acessórios, nos brilhos...
Não pretendo dar a ideia de 'pequenos detalhes, grandes diferenças'.
É a ideia mesmo do fútil. De como a maneira que a pessoa se veste anula o jeito que ela se comporta.
E se não concordar com a minha ideia, nem ao menos aceita que ela exista.
É hilário ou trágico? Penso que é tipo um filme do Chaplin, uma tragédia bem humorada ou um humor meio trágico... fazer pensar sem se fazer chorar.


quarta-feira, 28 de março de 2012

.arco-íris.

O Sol não apareceu, porém nasceu em algum lugar.
E as águas exigem respeito, elas não cessam por nossa vontade e não caem apenas por nossos pedidos.
A chuva lava. Prepara o céu para azular em tons vibrantes.
Imenso respeito à natureza divina.
Associamos a chuva ao 'não Sol', mas chuva é chuva e só.
Às vezes Sol e chuva estão juntos.
A união deles é um terceiro fenômeno.


...é como chorar e depois sorrir se lembrando de já ter chorado de tanto rir...

terça-feira, 20 de março de 2012

.assaltos.

Realmente estamos vivendo em um tempo onde muita gente 'topa tudo por dinheiro'. 
Nesse 'programa' vale roubar, matar, intimidar, se vender, mentir... entregar os ensinamentos divinos em troca de conforto físico/sensorial, aventura e status. 
Os valores se evaporam, as grandes lições de respeito e amor são esquecidas, a gente está fechando os olhos e o coração para as coisas realmente belas. 
Hoje me sinto agoniada, será que amanhã esse espírito de 'visão ampla' ainda será atuante em mim? Pretendo. De verdade, pretendo levar a diante o máximo de coisas boas. 
Cada um de nós é um exemplo... Acho mesmo que o fim do mundo se aproxima, em forma de uma mudança radical no estilo de vida que criamos, ao qual nos adaptamos e somos discípulos cegos. Haverá o Tempo em que teremos que abandonar todos esse conceitos de felicidade que foram distorcidos por nós. 

segunda-feira, 19 de março de 2012

.cerrada.

Não vamos falar de dois dias atrás, quando seriam muito mais que dois dias.
Não vamos falar de ontem, que já não nos pertence em real.
Não vamos falar de hoje, pois ele ainda acontece.
Não vamos falar de amanhã, que será sempre um mistério.
Não vamos falar, mas vamos pensar duas vezes ou mais.
Não vamos falar, pois as palavras não sairão de nossas bocas.
Não vamos falar, as expressões ficarão inertes em nós.
Não vamos falar em alegrias, vamos vivê-las.
Não vamos falar em tristezas, vamos apreciá-las em sua importância.
Não vamos falar em sentimentos, vamos senti-los.
Não vamos falar nos outros, vamos escutá-los.
Não vamos contar pesadelos, quando podemos compartilhar sonhos.
Não vamos não contá-los, quando pudermos dividir medos.
Não vamos espalhar segredos, pois eles são nossos.
Não vamos falar, já que as palavras nos prendem.
Não vamos reclamar da morte, vamos agradecer a vida, em silêncio.

sábado, 10 de março de 2012

'adios' também foi feito pra se dizer.

Por tanta coisa que eu não consigo esquecer.
Pela minha incapacidade de apagar memórias.
(Talvez por isso se torne mais difícil.)
Eu desisto e presenteio o Tempo com o que houve de bom.
Conceitualmente amor é diferente de respeito.
Existe respeito sem amor, mas existe amor sem respeito?
É a hora de separar, cada coisa em sua gaveta. 
Tem a gaveta de brincos, a de colares, a de pingentes... cada qual com sua importância. 
É apenas questão de organização. Chegou o momento de saber distribuir. Cada pessoa em sua área. 
A vida como integração, como um projeto, que apesar dos imprevistos, vale a pena colocar certa ordem. 
Para as coisas fluírem de maneira mais direcionada. 
Foco, organização e disciplina.
Profissional, acadêmico, afetivo, fraternal, amizades... cada um com seu devido valor, espaço, mérito... 
Mas cada um no seu lugar certo. Sendo tudo emocional, mas cada emoção observada.
Não tracemos mesquinharia nas doações, apenas doando-se de maneira sutil.

Sem enfraquecer-se.
Do que adianta uma grande e admirável filosofia se os atos são falhos e vis?
Digo do que serve a perfeita e até lógica teoria se na prática é lamentável?
Quero apenas falar que não me encantam mais as utopias que nem ao menos nos esforçamos para realizar, nem que seja uma porcentagem pequena, mas suficientemente significativa. 
É tudo tão simples mentalmente. Quero ver arregaçar a manga. 
A energia que vem desses pensamentos é boa, mas anulada quando não posta em prática. 
Se pensas algo belo, faça ao menos algo lindo.
Pratiquemos o que acreditamos ser o certo, o melhor para nós, o menos prejudicial para o outro e que isso não entre em conflito. Pois o que é  verdadeiramente do bem não faz mal a ninguém.
Não falarei de como me sinto, mas tentarei me sentir ao máximo.

O que esteve em mim estará para sempre, de alguma forma.
Dores, amores, desamores, desarmada.
Falácias de mágoa. Palavras jogadas.
Me ver sozinha na rua. Sem ter alguém verdadeiramente do meu lado.
Sorrir e pensar no que mais tenho saudade.

Deixa como está.
Cada um curte a foto, o status e a vida que quiser. 
Cada um se retrata como acha que é.

O que se identificar, admirar ou apenas chamar atenção, para chamar.
Cada um comenta o que achar que vale a pena ser dito.
E se cala diante do que desconhece, quem sabe sempre, se indagando no íntimo.
Continuarei a me arrumar para quem eu quero que me veja bonita, por dentro principalmente.
A beleza exterior é muito efêmera, '
vaptivupte'  

E você já não é aquela pessoa que te associavam ser.
Cada vez mais vou me certificando que o que vale mesmo é aquele velho clichê que diz:
'Mais cultivada deve ser a beleza interior.'

Eu acho que amar é conseguir captar intenções.
Uma vez li que 'o amor é uma porteira fechada'.
Me neguei a absorver a idéia, mas hoje reflito sobre, e concordo.
O Amor sempre deve guardar segredos que só os amantes dividem, momentos que só os amantem compartilharam, é a cumplicidade entre os que se ama(ra)m.


quinta-feira, 1 de março de 2012

.números e vontades.

Por vezes tenho a sensação de que certas pessoas acham que nós somos apenas números, mas não, nós não somos exatos em todas as circunstâncias, '2+2=4', eu não serei a mesma resposta sempre. 
E mesmo sabendo disso, por vezes, eu lido com um funcionário caixa como se ele fosse um caixa eletrônico.
O espírito de liderança anda sendo desvirtuado, a tecnologia tem nos subido à cabeça. Querem que homens sejam máquinas inanimadas? 
Comparam homens com tais máquinas. 
Não quero mais pensar nisso por hoje.